segunda-feira, 26 de junho de 2017

Forrozeiros fortalecem a Campanha: #Devolva Nosso São João


                                                                                               Publicada por Kátia Rejane - Comunicadora do Caatinga

A fogueira ta queimando, em homenagem a São João, o forró já começou, vamos gente, rapa-pé nesse salão( Música: São João na roça. Luiz Gonzaga)

Os tradicionais festejos juninos, tem como origem famílias que se reuniam em volta da fogueira para comemorar as festividades ocorridas no mês de junho, homenageando santos da igreja católica (Santo Antonio, São João e São Pedro), com o passar do tempo se tornou uma festa conhecida em todo o Brasil, caracterizada pelas quadrilhas juninas, comidas típicas, e o tradicional forró, feito com sanfona, zabumba e triangulo. Esse conjunto de conhecimentos, sabedorias e sabores Traduzem os sentimentos de devoção, gratidão pela colheita realizada, resistência e animação características do povo nordestino.
Nos últimos anos, as festas juninas promovidas, pelas gestões publicas, trazem cada vez menos, a presença de sanfoneiros nas programações, especialmente nas grandes cidades do nordeste, como Caruaru em Pernambuco e Campina Grande na Paraíba.
Foto da internet

Em protesto a essa posição das gestões publicas, sanfoneiros dos diversos lugares do nordeste lançaram, nas redes sociais a campanha: #Devolva nosso São João, que denuncia a descaracterização do São João nas programações dos festejos públicos.
A campanha encabeçada pelos músicos Joquinha Gonzaga (sobrinho de Luiz Gonzaga) e Chambinho do Acordeon, (intérprete do Rei do Baião no filme Gonzaga: De pai pra filho), ganhou a adesão de vários forrozeiros em todo o nordeste. O manifesto político – cultural, é uma forma de chamar atenção dos governantes, e principalmente da população para a invasão de ritmos e músicos de outras regiões do País, que conseguem através de grandes empresas de entretenimento adentrar nas programações juninas em diversos municípios, desrespeitando a tradição local.
No sertão do Araripe Pernambucano, região onde esta localizada a Exu, cidade do eterno rei do baião Luiz Gonzaga, a situação não é diferente, mesmo os festejos sendo menores, e estando tão próximo da cidade do Gonzagão, as programações juninas dos municípios, conta com pouquíssimos  sanfoneiros, ganhando espaço ritmos como sertanejo, funk, forró estilizado e pisadinha.
Os forrozeiros dessa região também aderiram à campanha, além de Joquinha Gonzaga, os forrozeiros e compositores Elmo Oliveira, Flávio Leandro aderiram a campanha como forma de luta para manter viva o legado do Gonzagão, e oportunizar a juventude conhece -lo “ O forrozeiro perde por que deixa de ganhar, perdoe – me, a redundância, a população perde por que deixa de reafirmar sua identidade cultural, agora a perda maior é da juventude por que não tendo seu cordão umbilical ligado a nossas raízes acaba achando que está tudo certo” Diz Elmo Oliveira, ao falar das perdas em decorrência do esquecimento dos forrozeiros nas programações juninas.
Entre as frases divulgadas pelos artistas ganharam força nas redes sociais: “Devolvam o nosso São João”, “São João é do Nordeste” e “São João só é grande quando tem forró”.

Tecnologias sociais de captação e armazenamento de água geram renda e qualidade de vida na Serra da Baixa Verde

Por Jéssica Freitas - comunicadora da ADESSU Baixa Verde


Quintais produtivos
Com o objetivo de aumentar a oferta hídrica através da captação e armazenamento de água da chuva, a Associação de Desenvolvimento Rural Sustentável da Serra da Baixa Verde (ADESSU Baixa Verde), tem trabalhado com essas tecnologias desde 2004, com a construção de caldeirões de pedra, cisternas de placas do Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) vinculado à ASA (Articulação no Semiárido Brasileiro) e financiado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS) e cisternas do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2) financiadas pela PETROBRAS e BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Em 2016, a ADESSU se propôs a executar um projeto de caráter emergencial de captação de água da chuva nos municípios de Triunfo e Santa Cruz da Baixa Verde, situados no Sertão do Pajeú, estado de Pernambuco. Com o financiamento da Kindernothilfe/Alemanha, foram construídas 11 cisternas para captação de água da chuva com capacidade para armazenar 52 mil litros cada, além de 02 poços amazonas, possibilitando que 38 famílias de 08 comunidades rurais dos municípios de Triunfo e Santa Cruz da Baixa Verde tivessem acesso à água em quantidade e qualidade para fortalecimento das iniciativas produtivas.

A agricultora Almerinda Gomes, da comunidade Arado, em Santa Cruz da Baixa Verde, teve sua vida transformada a partir da conquista de uma cisterna-telhadão, com capacidade para 52 mil litros. “Eu só tinha a cisterna pequena e sempre tive o sonho de ter a grande para fazer plantios, pois isso é uma coisa que eu gosto até demais, adoro plantar. Eu sempre tive depressão desde pequena, eu já passei por muita coisa na vida, perdi pai, perdi mãe, minha mãe que me adotou também morreu. Hoje estou muito feliz, hoje tenho minhas coisas e já consigo lucro delas; para mim foi a melhor coisa do mundo, o galpão está cheio de feijão, que daqui uns dias vamos passar na máquina. É só alegria! Tenho minha pimenta, tenho meu pimentão, meu alface, meu coentro”, relatou a agricultora.

Também foi incorporada ao projeto, a construção de uma casa, devolvendo a dignidade e garantindo o direito ao lar de uma família carente, composta por 02 adultos e 03 crianças, que viviam em situação de risco, na comunidade, em Santa Cruz da Baixa Verde. Os espaços cobertos das cisternas-telhadão, possibilitam ainda que crianças, adolescentes, jovens, adultos, Associações comunitárias, Grupos de jovens, Grupos de mulheres, Grupos de orações, Organizações de assessoria, realizem atividades recreativas, reuniões, festividades, missas, estimulando a integração das famílias nas comunidades.









quinta-feira, 15 de junho de 2017

Intercâmbio Microrregional leva agricultoras e agricultores para conhecer sistema de agrofloresta

Por Jéssica Freitas - comunicadora da ADESSU Baixa Verde


Comunidade São Bento, Santa Cruz da Baixa Verde

No dia 14 de junho, o agricultor Antonio Sabino, que reside na comunidade São Bento, em Santa Cruz da Baixa Verde, recebeu em sua propriedade agricultores e agricultoras dos municípios de Flores e Serra Talhada, que participavam do Intercâmbio Microrregional, do Programa Um Milhão de Cisternas – P1MC. O programa está sendo executado pela ADESSU Baixa Verde.

A visita foi iniciada com uma dinâmica, onde cada participante apresentou um objeto de sua estimação e falou sobre a importância que tinha para sua vida. Antonio Sabino, que faz parte do grupo de 12 fundadores da ADESSU, fez um resgate da criação da Associação e de sua trajetória de trabalho com a agroecologia ao longo de 20 anos de luta e resistência.

Em sua propriedade, Antonio procura desenvolver uma agricultura familiar com base na produção orgânica agroecológica. Os agricultores e agricultoras ficaram animados ao conhecer seu banco de sementes e sua agrofloresta. O Sistema Agroflorestal – SAF é mantido pela mistura de árvores ou arbustos nos campos de produção agrícola ou pecuária de forma equilibrada.

Após a visita, eles se dirigiram para a sede da ADESSU Baixa, em Triunfo, onde com as orientações da assessora da FETAPE, Lucenir Silva, tiveram esclarecimentos sobre a proposta da reforma da previdência, uma medida que, caso aprovada, prejudicará muitos trabalhadores e trabalhadoras, em especial os do campo.

“A finalização deste TP antes de qualquer coisa representa o sentimento de alegria e festejo, pois sabemos o quanto é importante para o nosso semiárido ter onde armazenar água de qualidade para o consumo humano; é possível vê nos semblantes daqueles que foram beneficiados tamanha alegria tudo isso nos faz continuar acreditando que esta politica é necessária e precisa continuar; pois a muitas famílias que necessitam e ainda aguardam. Estamos finalizando as construções e quase cem por cento dessas tecnologias já captaram água da chuva, estão cheias, o que vai garantir água para este ano de 2017”, comentou a coordenadora do projeto, Alda Balbino.

A execução do programa está sendo realizada através de um Termo de Parceria Aditivo, com duração de 5 meses e meta para a construção de 340 Cisternas de Placas, com capacidade para 16 mil litros de água para o consumo humano, nos municípios de Serra Talhada e Flores, Pernambuco.


segunda-feira, 5 de junho de 2017

15ª Semeia leva deputados estaduais para discutirem desmatamento no Sertão do Pajeú

Com o tema “Caatinga: Guardiã da Vida do Semiárido”, uma Audiência Pública irá movimentar a cidade de Afogados da Ingazeira e municípios vizinhos do Sertão do Pajeú, na próxima terça-feira (06), às 8h30. O evento, que acontece no Cine Teatro São José, será marcado com a presença dos deputados estaduais Edilson Silva (PSOL) e Odacy Amorim (PT), convidados pelas organizações da sociedade civil. 

De acordo com os organizadores, este será um momento histórico para a região, com a presença de deputados escutando da população e sociedade civil as reivindicações diante da situação de degradação ambiental em que se encontra o bioma caatinga. Dentre as principais degradações, estão: a devastação das matas ciliares; a seca das fontes de água; a falta de tratamento adequado do lixo, e o desmatamento descontrolado da caatinga através das queimadas e da extração ilegal de madeira, que trazem consequências desastrosas para a vida humana e as diversas espécies animais e vegetais.

A programação faz parte da 15ª edição da Semana do Meio Ambiente (Semeia), uma campanha que busca conscientizar a população sobre a importância da manutenção do bioma Caatinga como fundamental para a preservação da vida, além de estimular o combate aos crimes contra o meio ambiente, mostrando os principais espaços seguros para denunciar.

Além da Audiência Pública que se encerra com uma caminhada até a ponte do Rio Pajeú, a SEMEIA conta com mais dois importantes eventos. O primeiro é um seminário em Tabira, debatendo o desmatamento e os impactos da devastação da caatinga na vida das mulheres, realizado pela Casa da Mulher do Nordeste. O outro evento acontece no sábado (10), com o aniversário da Feira Agroecológica de Serra Talhada (FAST): a comemoração é organizada pelas próprias agricultoras e agricultores assessorados pelo CECOR, com apresentações culturais, oficinas, exposições e distribuição de mudas.

Organizada inicialmente pela Diaconia, a Semeia atualmente é realizada por diversas organizações e representantes da sociedade civil. Casa da Mulher do Nordeste, Centro Sabiá, CECOR, ADESSU Baixa Verde, Universidade Federal Rural (UFRPE), sindicatos e associações de agricultores/as são algumas das entidades parceiras.

------------------------------------------------------------------------
Confira a programação completa:

06.06 - Afogados da Ingazeira
Audiência Pública "Caatinga: Guardiã da Vida do Semiárido"
Local: Cine Teatro São José
Hora: 8h30

COMPOSIÇÃO DA MESA (Deputados, Prefeitos, Organizações)
CONTEXTO AMBIENTAL DO PAJEÚ  (Professor Genival Barros da UFRPE)
Resgate da luta do Grupo "Fé e Política" sobre o enfrentamento ao desmatamento no Pajeú – Padre Luizinho
PLENÁRIA (10 a 15 falas - 3 min por pessoa). Os participantes podem entregar propostas ou denúncias aos deputados, durante ou após as falas.
FALAS DOS DEPUTADOS QUE COMPÕEM A COMISSÃO PARLAMENTAR
CAMINHADA ATÉ A PONTE SOBRE O RIO PAJEÚ

08.06 - Tabira
Seminário: O desmatamento e os impactos na vida das mulheres 
Realização: Casa da Mulher do Nordeste e Centro Sabiá
Local: Espaço Araras, em Araras - Tabira.

8h30 – Abertura;
10h – Mesa-debate: O Desmatamento e os impactos na vida das mulheres, com Riva Almeida (Centro Sabiá), Lorena Moraes (UAST/UFRPE), Sara Rufino (Casa da Mulher do Nordeste), representantes da Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú e da Diaconia.
10h30 - Experiência de vida da agricultora Bernadete de Ingazeira
11h – Grupos de Trabalhos: Quais as estratégias que as mulheres estão utilizando para minimizar os impactos do desmatamento e o aquecimento global através de suas práticas agroecológicas.
12h - Almoço
14h – Apresentação dos trabalhos em grupos
15h – Avaliação e encerramento com trocas solidárias

10.06 - Serra Talhada
Aniversário da Feira Agroecológica de Serra Talhada 
Realização: FAST
Local: Praça Sérgio Magalhães, Centro - Serra Talhada
Assessoria: ADESSU Baixa Verde, Cecor, Centro Sabiá
Apoio: NEPPAS, UFRPE/UAST, Prefeitura Municipal de Serra Talhada

7h – Abertura
Apresentação do Grupo de Dança Folhas Outonais (Serra Talhada)
7h30 – Café da Manhã Agroecológico
8h – Falas das instituições e coordenação da FAST
Teatro de Rua: Grupo de Teatro Juventude Franciscana (Triunfo)
Oficina: Processamento de Alimentos (Resíduos Vegetais) - UAST
Oficina: Defensivos Naturais – NEPPAS
Exposição de banners: Alimentação Nutricional – UAST
Exposição de Artesanato - Prefeitura Municipal de Serra Talhada
Distribuição de mudas nativas – Prefeitura Municipal de Serra Talhada
9h - Corte do Bolo
10h – Bingo

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Agricultoras e agricultores divulgam programação dos 17 anos da Feira Agroecológica de Serra Talhada


Agricultoras e agricultores da Feira Agroecológica de Serra Talhada – FAST – estão preparando programação especial para comemorar os 17 anos de fundação da feira, um espaço de resistência e afirmação da Agroecologia como alternativa viável para transformar a vida das famílias do Semiárido. As comemorações acontecerão no dia 10 de junho corrente, a partir das 6 horas, na Praça Sérgio Magalhães, centro, Serra Talhada. O evento está dentro das atividades da Semana do Meio Ambiente – SEMEIA 2017, no Sertão do Pajeú pernambucano, que esse ano trabalha o tema “Caatinga: Guardiã da Vida do Semiárido”.
Atualmente, a FAST conta com agricultoras e agricultores dos municípios de Serra Talhada, Triunfo e Santa Cruz da Baixa Verde que comercializam diversos tipos de alimentos totalmente agroecológicos. Os alimentos são produzidos nos quintais produtivos dos agricultores e agricultoras, sem o uso de agrotóxicos. Nas comemorações, também haverá apresentação de um grupo de dança, teatro e oficinas de processamento de alimentos e de defensivos naturais, entre outras atividades.
Além de verduras, frutas e legumes fresquinhos e saudáveis, são comercializados doces, polpas de frutas, compotas, galinha de capoeira abatida, caldo de cana, bolos, temperos e remédios caseiros. Os frequentadores ainda aproveitam para saborear lanches saudáveis e muita comida caseira. A festividade conta com a parceria das instituições de assessoria técnica, entre elas a ADESSU Baixa Verde, Cecor e Centro Sabiá, além do apoio da UFRPE/UAST, NEPPAS e Prefeitura Municipal de Serra Talhada.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

ADESSU Baixa Verde no combate ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes

Por Jéssica Freitas - comunicadora da ADESSU Baixa Verde
e Rosilene Moraes - coordenadora do projeto apoiado pela KNH/Alemanha



A ADESSU Baixa Verde fez bonito, e em articulação com vários parceiros, levou nesta quinta-feira (08) a Campanha FAÇA BONITO – Proteja nossas crianças e adolescentes, para o município de Santa Cruz da Baixa Verde, onde atua. O 18 de Maio – Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes foi vivenciado com uma mobilização social pelas principais ruas da cidade e falas políticas de alguns detentores de deveres. O objetivo foi sensibilizar e convocar toda sociedade e o poder público para assumirem a responsabilidade de prevenir e enfrentar o problema da violência sexual praticada contra crianças e adolescentes. As escolas municipais e estaduais tiveram uma participação ativa no evento e transmitiram sua mensagem de repúdio ao abuso e à exploração sexual através de teatro, música, paródia, poema, repente e hap.

O evento foi uma realização da ADESSU Baixa Verde, com o apoio da KNH Alemanha, em parceria com Escolas Municipais e Estaduais, Secretarias de Educação, de Desenvolvimento Social, de Saúde e de Agricultura, NASF, Serviço de Convivência, Programa Mãe Coruja, Casa Ana, Centro Sabiá, Câmara de Vereadores, NUCA, Conselho Tutelar, COMDESC, Sindicato dos Trabalhadores e trabalhadoras Rurais e Encontro de Jovens com Cristo-EJC.

Como encaminhamentos práticos do ATO PÚBLICO, a ADESSU Baixa Verde solicitou ao prefeito do município, Tássio José Bezerra dos Santos, as seguintes providências:

1.      Reativação do Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, órgão de caráter deliberativo e paritário, previsto na lei no 8.069/90 – Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), como órgão responsável pela formulação e coordenação da política municipal de direitos para as crianças e adolescentes.

2.      Fortalecimento das ações nas áreas de educação, saúde, proteção e participação social de crianças e adolescentes, tendo em vista a manutenção do SELO UNICEF, conquistado pelo município em 2016.

POR QUE 18 DE MAIO?

Em 18 de maio de 1973, uma menina capixaba de Vitória/ES, foi sequestrada, espancada, estuprada, drogada e assassinada numa orgia imensurável. Seu corpo apareceu seis dias depois, desfigurado por ácido. O crime permanece impune.  Após forte mobilização, o movimento em defesa de crianças e adolescentes conquistou a aprovação da Lei Federal 9.970/2000 que instituiu essa data como o dia nacional de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. O dia 18 de maio foi instituído como dia para as lutas e mobilizações de enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil. 

A SUA ATITUDE PODE AJUDAR A MUDAR OS ÍNDICES DE VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM NOSSO PAÍS.


#FAÇA BONITO